terça-feira, setembro 20, 2022

A PRIMEIRA VEZ EM LONDRES

(Lisboa) A primeira vez que fui a Londres já foi há alguns anos. A viagem a Inglaterra foi a trabalho como foram todas as outras a este país. Mesmo a trabalho, existem fins de semanas e horas de tempo livre que podem ser gastas a fazer uma coisa que me dá muito prazer: caminhar. Caminhar por aí sem destino nem horas certas para chegar a um lugar que na partida ainda não está bem definido. A viagem não era para Londres mas a vontade de conhecer os sítios que via nos livros da disciplina de Inglês ao vivo era muito grande. Eu só pensava em arranjar um tempinho livre ao fim de semana para lá ir à grande capital. Eu na altura tinha vindo cá (lá na verdade) parar, para fazer uns trabalhos de manutenção que consistiam em fazer actualizações de software a equipamentos chamados de BSC, base station controllers. Equipamentos que estão ligados a estações base que comunicam com os nossos telemóveis, esta é a explicação simplificada.

O plano das horas vagas era ir para o centro da cidade, de metro, e sair na superfície perto da Tower of London. Daí, caminhar perto do rio e ir vendo o que ia aparecendo: correu bem, o tempo também ajudou e esteve sempre ou quase sempre sol.

THE MONUMENT TO THE GREAT FIRE OF LONDON 1666

Este monumento que sinaliza o grande fogo em Londres de 1666 foi das primeiras imagens que captei no meu passeio. Eu queria levar tudo e fazer uma espécie de Google Street View em casa, no meu computador. Só tinha uma pequena máquina digital que me permitia tirar algumas fotografias para mais tarde recordar.
 

Referências:

(1) - https://www.themonument.org.uk/

sábado, setembro 10, 2022

LA BOGAÑA

PONTE LA BOGAÑA


(Mourão) Esta é a Ponte La Bogaña. Ela atravessa o rio Alcarrache, um curso de água que está seco neste momento (em setembro de 2022). O rio nasce na Serra de Santa Maria e descarrega a sua carga no rio Guadiana, já em Portugal. Esta ponte teria sido construída no século XVI.

Referências:

(1) - https://villanuevadelfresno.es/plantilla.php?enlace=puente_bogana

(2) - https://es.wikipedia.org/wiki/R%C3%ADo_Alcarrache

sábado, agosto 27, 2022

BOEING 767

N198DN - DELTA AIR LINES - AEROPORTO DE LISBOA


(Lisboa) Este é um Boeing 767 300-ER da Delta Air Lines. De matrícula N198DN, entrou ao serviço em janeiro de 1998. O 767 começou a operar em 1981 e desde o início a Boeing já produziu 1252 unidades deste modelo. De acordo com (1) estão 737 aviões Boeing 767 ativos neste momento. Esta imagem foi captada no Aeroporto de Lisboa e o avião tinha como destino provavelmente Nova Iorque ou Boston, isso aí já não estou em condições de confirmar.

Eu não me canso de repetir embora seja chato uma pessoa se repetir mas se os aviões falassem tinham muita coisa para contar.


Referências:

(1) - https://simpleflying.com/the-rise-and-fall-of-the-boeing-767/

sábado, agosto 13, 2022

AIRBUS A220

F-HZUE - AIR FRANCE - AIRBUS A220
 

(Lisboa) Andei à procura e não encontrei referências a nenhum A220 neste blogue. É uma estreia portanto por aqui, este avião. É dos produtos mais recentes da Airbus. Ele tem um alcance de até 3450 milhas náuticas, isto é, 6390km (cada milha náutica são 1852 metros). Existem duas versões deste produto, o A220-100 e o A220-300 e em breve o ACJ TwoTwenty que será uma versão de avião privado ou corporativo com um alcance maior já que carrega menos passageiros e carga.


F-HZUE - AIR FRANCE - AIRBUS A220


Este da imagem é um A220-300 e leva as cores da Air France. É um dos 12 Airbus A220 da companhia francesa que no que toca a A220 tem apenas a versão 300. Tem a matrícula F-HZUE.

Referências:

(1) - https://www.airbus.com/en/products-services/commercial-aircraft/passenger-aircraft/a220-family

(2) - https://www.airfleets.net/flottecie/Air%20France.htm

 


domingo, julho 24, 2022

sábado, julho 23, 2022

WORLD EXPLORER

WORLD EXPLORER - PORTO DO FUNCHAL


(Lisboa) Foi construído nos Estaleiros Navais de Viana do Castelo em 2019 (IMO: 9835719), tem uma capacidade máxima de passageiros de 180 pessoas, leva mais 125 membros da tripulação. Tem 126 metros de comprimento e 19 de largura. É um navio de cruzeiros de luxo e foi apanhado no Porto do Funchal, em abril passado, por moi.


Referências:

(1) - https://www.rivagesdumonde.fr/nos-bateaux/bateau-de-croisiere-cinq-roses-des-vents/world-explorer

domingo, julho 17, 2022

CAPELA DE SÃO ROQUE - MACHICO

CAPELA DE SÃO ROQUE - MACHICO


(Lisboa) Ao longo da minha infância e juventude as imagens que me ficaram de Machico contêm, muitas delas, o campo de futebol em terra bem no centro da povoação. Um pelado que existiu na cidade até ao início do século XXI. Outra imagem que me ficou foi a Capela de São Roque, bem mais antiga que o rectângulo para jogar à bola e que resistiu ao tempo e continua no canto oeste da baía. São Roque que dá nome também à praia de calhaus.


Referências:

(1) - https://www.visitmachico.com/pt/sobre-machico/factos-e-historia/centro-historico-machico-chm/capela-de-sao-roque

(2) - https://www.visitmadeira.com/pt-pt/explorar/detalhe/praia-de-sao-roque


quinta-feira, junho 16, 2022

SALESIANOS FUNCHAL

SALESIANOS FUNCHAL


(Lisboa) Não passa despercebido na paisagem do anfiteatro do Funchal, o edifício dos Salesianos. A escola mudou desde o tempo que lá andei, na primeira metade da década de noventa do século passado. Segundo (2) este edifício é de 1961.


Referências:

(1) - http://www.funchal.salesianos.pt/

(2) - https://www.salesianos.pt/noticias/salesianos-do-funchal-do-passado-do-presente-e-do-futuro/

segunda-feira, junho 13, 2022

PORTO DO PORTO SANTO

PORTO SANTO

(Lisboa) Fiquei admirado com a rapidez com que o meu mais recente telemóvel calculou a sua posição de GPS estando eu sentado não na janela mas sim na coxia. O sinal de GPS obviamente será mais fácil de captar perto das janelas. Como estava em modo de avião, ou seja, desligado de qualquer rede móvel e também rede wifi, a questão do GPS diferencial nem se colocava. O que eu sei do GPS é que cada satélite demora ciclos de 12 minutos para enviar toda a informação e que um só satélite não é suficiente para calcular a posição, são precisos alguns satélites, pelo menos três. É verdade que durante o voo a captura do sinal de vários satélites nem sempre demorou alguns segundos, houve alturas em que demorou bem mais do que segundos, creio que minutos, mas consegui adquirir a minha posição não estando na zona da janela nem demorando muito tempo. Já ouve outros voos no passado em que não consegui obter a minha posição durante todo o voo.
Sem ajuda de um sistema diferencial e numa posição inicial desconhecida, um aparelho GPS demora sempre algum tempo até que se consiga o cálculo da posição (é o chamado time to first fix). Talvez o algorítmo tenha usado a memória recente para ajudar no cálculo final, ou seja, se a última vez que tenho dados estive na posição X é provavél que passados alguns minutos, dezenas de minutos, ainda esteja mais ou menos perto dali, mesmo que o perto e no caso de um voo, isso represente algumas centenas de quilómetros de deslocamento.
Tendo uma boa informação sobre a minha localização durante praticamente todo o percurso reparei já a descer para o Aeroporto da Madeira que a rota ia atravessar a Ilha do Porto Santo praticamente de ponta a ponta. O Porto Santo, para quem não sabe, é um rectângulo deformado com uma orientação de eixo mais ou menos em torno de nordeste. Um rectângulo deitado a um ângulo de 45 graus. Aproximações grosseiras que estou a fazer mas dá para ter uma ideia. E foi nessa altura em que estava mais ou menos a passar a meio da ilha que tirei esta fotografia.
O que se vê bem lá em baixo é o Porto do Porto Santo. É ali que o Lobo Marinho chega todos os dias com muitas pessoas locais e visitantes. Foi ali também que cheguei a esta ilha a maior parte das vezes em que a visitei. Dali até ao centro de Vila Baleira que é cidade desde 6 de agosto de 1996, são uns dois quilóemtros e meio. Faz-se bem a pé mas o percurso é exposto, se estiver sol apanhamos sol esse tempo todo mas a paisagem é muito agradável pois é toda ao longo da praia, na marginal.

Referências:

terça-feira, abril 26, 2022

LE CHAMPLAIN

LE CHAMPLAIN - IMO 9814038

(Lisboa) Da última vez que passei pela Madeira encontrei este navio, não muito grande, no Porto do Funchal. O navio não é dos maiores que passam pela ilha mas tem um aspecto muito acolhedor. Dá vontade de visitá-lo também por ser mais pequeno que os gigantes que habitualmente por lá param. O Le Champlain é da empresa Ponant e tem um comprimento de certca de 131 metros. O nome homenageia o francês Samuel de Champlain, navegador e explorador. 

Referências: