sexta-feira, maio 29, 2020

BRASIL

(Lisboa) Directamente de sua casa, Sara Winter, uma cacique bolsonarista, fala do Juiz Alexandre de Moraes do STF depois de ter sido alvo de buscas pela PF. PF é prato feito para bolsonarista, na realidade PF significa Polícia Federal, em Portugal seria a Polícia Judiciária. Voltando à cacique ela refere-se ao juiz do STF da seguinte forma:
"Pena que ele mora em São Paulo porque se estivesse aqui eu já estava lá na porta da casa dele convidando ele pra trocar soco comigo. Juro por Deus, essa é a minha vontade, eu queria trocar soco com esse filha da puta desse arrombado. Infelizmente eu não posso, mas eu queria. Ele mora lá em São Paulo né? Pois você me aguarde, Alexandre de Moraes, o sr nunca mais vai ter paz na vida do sr, a gente vai infernizar a tua vida, a gente vai descobrir os lugares que o sr frequenta, a gente vai descobrir quem são as empregadas domésticas que trabalham pro sr, a gente vai descobrir tudo da sua vida até o sr pedir para sair. Hoje o sr tomou a pior decisão da vida do sr. Foi a pior decisão que você tomou, a pior. Hoje o povo brasileiro vai tirar você daonde o sr tá. Escuta o que estou falando. Isto não é uma ameaça não, é uma constatação. O sr não vai continuar no poder, o sr vai sair por bem ou por mal."

O vídeo continua e ela pede ajuda para comprar telemóvel e computador e alerta que os advogados estão a chegar, estão a caminho. O vídeo está disponível a cores no Youtube para quem quiser vê-lo na íntegra. Há um comentário interessante e que destaco no meio de um mar de lodo, alguém que comenta "Testezinho de AI-5... pra sentir como é...". É este o Brasil dos bolsonaristas, o Brasil não do argumento mas do soco. Para os bolsonaristas a decisão da justiça só é respeitável se for favorável ao discurso do chefe. Lembram-se do herói Sergio Moro (durante os governos PT)? A separação dos poderes não funciona para o bolsonarista, por isso é que eles querem fechar o STF e o Congresso. Defendem a liberdade quando alguém é PRESO PELA POLÍCIA porque se recusa a cumprir regras TEMPORÁRIAS durante uma PANDEMIA MUNDIAL. Para o bolsonarista ser boca de esgoto é uma qualidade, uma virtude. Numa Democracia não existe liberdade absoluta, a liberdade absoluta existe em Ditadura. A liberdade absoluta existe em ditadura para os que estão perto do ditador. É isso que os bolsonaristas defendem, liberdade para eles, de movimento, de expressão, tudo para eles, não para os outros. Os outros não podem ser livres, só eles.

No instagram, o filho do presidente partilhou o vídeo de um suposto apoio da polícia aos apoiantes pró Bolsonaro, em São Paulo, no domingo passado. A mensagem passou mas o que a polícia estava a fazer era uma homenagem a um policial morto à mesma hora do seu sepultamento. Não estava solidária com os manifestantes.

O governo de Jair Messias Bolsonaro, o Real Madrid dos governos. Esta era para ser a gestão da Nova Política. O problema da Nova Política é que é feita com gente da velha política, eleita pelos velhos eleitores, aqueles que sabem muito bem o que está errado na sociedade mas continuam a eleger gente igual a eles para os representarem nas instituições. Tal como elegiam os velhos políticos elegem os novos e vão descobrindo que é tudo a mesma coisa. Os políticos não mudarão enquanto nós, os eleitores, não mudarmos as nossas prioridades e as nossas referências. A Nova Política é o slogan preferido dos extremistas, daqueles que vivem do sebastianismo, do caudilhismo. Esperam o senhor que os vai salvar e dar um novo rumo e ignoram o poder individual que têm e como colectivo. Quando descobrem esse Sebastião veneram-no, são sabujos, vendem o seu pensamento e ficam em coma até ele cair. Depois mudam de estado para magoados e desiludidos até arranjarem um novo hospedeiro para a sua indigência intelectual.

quarta-feira, maio 27, 2020

BRASIL

(Lisboa) Há uns dias atrás circulava na comunidade das fake news uma pergunta. A pergunta é, porquê que em Minas Gerais o covid-19 apresenta baixa mortalidade e incidência? As opções disponíveis: boa imunidade da população ou um governador sério? Contextualizando, o governador de Minas Gerais é o Romeu Zema, para a discussão não interessa se é competente ou não mas importa destacar que não foram especialmente duros no isolamento (em Minas) e Romeu Zema tem um discurso muito simpático a Bolsonaro. Há no entanto uma terceira resposta para essa pergunta que passará despercebida a quem apenas serve de retransmissor de mensagens grillistas: a subnotificação que é um problema em todo o lado mas um problema maior onde se testa menos. A discussão no Brasil está tão politizada que o vírus foi apresentado pelo Ministro dos Negócios Estrangeiros, recentemente no seu blogue pessoal, como o comuna vírus. Este nível de discussão não está acontecer na maior parte do resto do mundo. Um dos filhos de Bolsonaro (eu sigo todos no instagram) partilhava um estudo de Nova Iorque onde sessenta e tal por cento das pessoas tinham sido contaminadas em casa, atirando a conclusão que o isolamento não adiantava absolutamente para nada. Nesses canais é tudo assim, forçado, se não concordas és comunista, não percebes nada disto e as conclusões são todas as conclusões que validam as opções do chefe. Faz lembrar regimes como a Coreia do Norte. Tal como na Coreia do Norte o Brasil parece não ter oposição. Relembrando, estas confusões todas foram originadas de dentro do Governo. A saída dos ministros da saúde no meio da pandemia, a saída do Sérgio Moro, os discursos negacionistas do Presidente da República em antena nacional falando de gripezinha e de histórico de atleta, os passeios no meio do público ignorando recomendações das autoridades de saúde, tudo isto não tem nada da mão da oposição e demonstra a falta de preparo da pessoa para ocupar o lugar que ocupa. O Brasil é muito grande em superfície e em população. São 210 milhões de pessoas o que significa que se 10-15% forem apoiantes de Bolsonaro (daqueles que cegos, básicos, mal educados como frequentemente se orgulham de ser, fanáticos que vendem a mãe e mandam entregar) podemos ter 31 milhões de agentes de propaganda por aí. Não se deixem convencer pela grandeza dos números. A maior parte da população ainda assim não está com Bolsonaro e isso é visível nas manifestações de Brasília, todos os domingos. Há corridas de 5000 metros de junta de freguesia aqui em Lisboa que têm mais participantes do que aquelas manifestações espontâneas com "gente de todo o Brasil". Vamos ter calma, vamos deixá-los pensar que podem fechar o STF, que podem fechar o Congresso, que podem validar o que pode ou não ser publicado por jornalistas, é tudo treta para assustar. Bolsonaro a cada semana que passa parece provocar mais vozes a prever que não terminará o mandato, parece caminhar determinado para esse fim, um triste fim mesmo para uma pessoa como ele, principalmente pelo que representa para o país a destituição de um Presidente.

sexta-feira, maio 22, 2020

IGREJA DA MADRE DE DEUS

IGREJA DA MADRE DE DEUS - RUÍNAS DE SÃO PAULO

(Lisboa) Em 1835 um incêndio destruiu a Igreja da Madre de Deus, em Macau. Hoje em dia o que sobrou foi a fachada e a enorme escadaria que formam um dos postais mais conhecidos de Macau. Houve uma altura em que havia eleição de 7 Maravilhas quase diárias e uma dessas chamava-se Sete Maravilhas de Origem Portuguesa no Mundo. As Ruínas de São Paulo foram eleitas uma das Sete Maravilhas de Origem Portuguesa no Mundo. As outras são a Fortaleza de Diu, na Índia, a Fortaleza de Mazagão, em Marrocos, a Basílica do Bom Jesus de Goa, também na Índia, a Cidade Velha de São Tiago em Cabo Verde, a Igreja de São Francisco de Assis, no Brasil e o Convento de São Franciscoe Ordem Terceira, também no Brasil. As Ruínas de São Paulo são a única das 7 Maravilhas que eu conheço ao vivo, até agora. A igreja original tem quase 500 anos mas a fachada teria sido concluída em 1640.

IGREJA DA MADRE DE DEUS - RUÍNAS DE SÃO PAULO


Referências:
(1) - https://pt.wikipedia.org/wiki/Ru%C3%ADnas_de_S%C3%A3o_Paulo
(2) - https://pt.wikipedia.org/wiki/Sete_maravilhas_de_origem_portuguesa_no_mundo 

quinta-feira, maio 21, 2020

BRASIL

(Lisboa) A entrevista em que Jair Bolsonaro comenta, até várias vezes e a rir, que quem é de direita toma cloroquina e quem é de esquerda toma tubaína é interessante para perceber varias coisas.
A primeira coisa é que ele nem é de direita nem de esquerda. E pode tomar a cloroquina que ele quiser, ele não é de direita. Sobra o centro? Não, ele não encaixa em nenhum lado. É uma pessoa confusa, basta analisar o seu passado e o seu percurso.
Ele confunde jornalismo com assessoria de imprensa e esclarece que esta aposta na cloroquina é assim mesmo, uma aposta. Segundo o próprio e ele adora falar de si próprio, se se demonstrar em algum dia um benefício, as pessoas vão olhar para ele como um visionário, um messias. Pode ser que sim, pode ser que não. É como ir a um casino ou jogar numa lotaria e ganhar algum prémio. E é assim que se tomam decisões de Estado. Todos sabemos qual é a probabilidade de ganharmos o euromilhões: muito baixa, baixíssima.
Os seus asseclas não vão mudar de opinião talvez por serem como ele, assim básicos, pouco dados a pesquisas, a informação livre. Ruy Castro num artigo de 19 de maio na Folha de São Paulo lembra que talvez um dia ele, o Messias, tenha de se explicar, talvez num tribunal. Nem que seja no tribunal da história. Talvez os que o seguem e apoiam cegamente, sem nenhuma crítica e com justificações infantis, do passado, também tenham de se explicar um dia. Talvez, mas acho que este talvez é bem mais provável que o talvez da cloroquina. #forabolsonaro

quarta-feira, maio 20, 2020

BRASIL

BRASIL - COVID-19

(Lisboa) "Cloroquina cloroquina, cloroquina lá do SUS, eu sei que tu me cura, em nome de Jesus", é uma adaptação da música do Tiririca Florentina de Jesus. Engraçado, não acham? É esta a letra da música que os patetas de curral cantam ao Airton Guedes ou seria ao Rafael Augusto Alves da Costa Ferraz, um dos pseudónimos de Bolsonaro? O debate sobre a cura milagrosa da cloroquina continua em dois lugares no mundo: EUA e Brasil. O primeiro e o terceiro país com maior número de casos. A Folha de São Paulo noticiava em meados de abril que o Presidente da República pedira, e o exército produzira, mais cloroquina. Na mesma altura o Ministro dos Negócios Estrangeiros falava, no seu blogue pessoal, em comunavírus. Sara Winter, uma cacique bolsonarista, em frente ao Palácio do Planalto, há uns dias atrás, fazia o tiro ao alvo que consistia em mandar sacos de água contra uma faixa com 6 rostos: Alexandre de Moraes (o juiz que barrou, e bem, o nome de Alexandre Ramagem para a Polícia Federal, em Portugal seria a Polícia Judiciária), Rodrigo Maia (o Presidente da Câmara dos deputados), Sérgio Moro (o ex-herói dos bolsonaristas), João Dória (Governador de São Paulo e alvo actual preferido dos cegos por Bolsonaro), Joice Hasselmann (Deputada Federal pelo PSL, o expartido de Bolsonaro) e Wilson Witzel (Governador do Rio de Janeiro). Ela dizia que o objectivo era desmoralizar os alvos. No mesmo vídeo há um tipo que a certa altura se junta na sua caminhada, por alguns instantes, e convida o espectador a ir para Brasília, segundo ele existe o acampamento e tem comida, por isso venham. Como diria Luciano Huck, loucura loucura loucura!!!
Entretanto chegamos hoje, no Brasil, ao patamar das mil mortes registadas num dia. Esse patamar deve-se manter nesta semana e aumentar um nível na próxima. As mortes só devem diminuir o seu ritmo de crescimento uns dias depois dos novos casos reportados diminuírem. Menos pessoas a serem infectadas significam menos pessoas hospitalizadas, menos em cuidados intensivos e menor fatalidade.
O gráfico com os dados oficiais do Ministério da Saúde representa o incremento de mortes e casos diários.

sábado, maio 16, 2020

DUSSELDORF

DUSSELDORF - RHEINTURM - TORRE RENO

(Lisboa) Há uns dias atrás, aqui, reparei que nunca tinha publicado esta foto da Torre Reno, ou da Rheinturm, captada na minha curtíssima passagem por Dusseldorf. A Torre tem 241 metros, valor arredondado ao metro e foi construída entre 1979 e 1981. O arquitecto responsável foi Harald Deilmann. Lembro-me que minha dificuldade na linha de comboio foi perceber qual o sentido que tinha de seguir para o centro da cidade pois ninguém falava inglês.

Referências:
(1) - https://en.wikipedia.org/wiki/Rheinturm

sexta-feira, maio 15, 2020

BRASIL

BARRA DA TIJUCA - RIO DE JANEIRO

(Lisboa) Desde de julho de 2003 o blogue sempre serviu para continuar a viajar mesmo quando estou dentro de casa. Vejo as fotografias, procuro nos mapas onde estive, que sítios visitei e os que não visitei mas passei perto e nem me dei conta. Quando voltar e se algum dia voltar, o que gostaria de ver de novo, de novo outra vez e de novo, o que não tinha visto antes. Foi assim que descobri a Ilha da Madeira, hoje, uma região a oeste do centro do Rio de Janeiro. A imagem no entanto é de uma praia na Barra da Tijuca, em 2012. A Barra é uma região linda, todo o Rio é.
Fui ao Rio de Janeiro duas vezes. A primeira vez de férias. Foi marcante e quando apareceu a oportunidade de lá ir de novo, a trabalho, foi uma muito agradável surpresa. A minha missão profissional não era particularmente motivadora mas voltar à cidade maravilhosa era. Isto para introduzir o tema Brasil.
É preciso pensar no quê que o Brasil pode-se tornar se Bolsonaro ficar na Presidência da República ou o quê que o Brasil pode-se tornar se Bolsonaro sair. Este é preciso pensar é dirigido ao povo que vota e elege os seus representantes. Uma das coisas que tenho mais visto escrito e ouvido é que acabou o toma lá dá cá, a velha política, dizem eles, os tais que vestem a linda camisa da selecção brasileira. Essa camisa não é propriedade de uma ideologia política, já agora! Nem é um símbolo de uma ideologia política, já agora! E já agora não se é democrata quando se quer fechar parlamento e Supremo Tribunal. Já agora, o quê que o Bolsonaro anda a fazer por estes dias? Não é também a dar cargos em estatais? Não é verdade que a velha política acabou. Para se manter no poder o Presidente precisa de um terço mais uma margem no congresso e está a procurar comprá-lo porque não é fácil fazer um processo de destituição. Não, eu não tenho acesso à TV Globo por isso não estou, segundo alguns, contaminado por essa terrível emissora. Terrível para eles, não para mim. Mas tenho acesso a todos os canais de youtube/facebook/whatsapp/instagram fascistas que os bolsonaristas se alimentam para fazerem copy paste sem pensar no que estão realmente a partilhar e também tenho acesso a toda a outra imprensa que os mesmos bolsonaristas dizem não ser de qualidade. Convém ler o MANDADO DE SEGURANÇA 37.097 antes de insultar o Alexandre de Moraes, ok? A palavra amizade não aparece escrita nesse documento. Procurem e leiam antes de partilhar lixo! Não sei como podem ficar ao lado de alguém que manda calar jornalistas, alguém que tratou como tratou Patrícia Campos Mello ou Vera Magalhães, de uma forma muito baixa.
Parece o Preço Certo, eles vêm de todo o país e ficam num curral a gritar mito mito mito. Mais recentemente também gritam Fechado com Bolsonaro. Depois o Presidente fala com esta gente, esta gentalha, e ignora os jornalistas. Parecem desocupados, os tais que gostam de mandar os outros trabalhar. "Quando a gente sente o cheiro da pessoa, não passa um perfume, a gente entende o que você é" disse uma dessas pessoas. Alguns deles filmam e fornecem o conteúdo a canais de youtube que depois alimentam os robots humanos que disseminam os factos alternativos nas redes sociais. São estes os novos jornalistas, perguntem-lhes os factos que eles sabem. Também são conhecidos como grillinhos. Os outros que são mesmo jornalistas não sabem nada (segundo eles). Brincalhãozinho, afinal o churrasco era fake. Enquanto há tempo para estas brincadeirinhas no Palácio do Planalto os números no Brasil não param de aumentar e não é só isso, a primeira derivada dos infectados também parece estar a aumentar. O Presidente despreza e ironiza o distanciamento físico. Ele é uma Gabriela Pugliesi que foi eleita para a Presidência da República. Tudo o que correr mal no futuro é culpa dos governadores e dos prefeitos. Ele está blindado, se fosse ele a decidir era diferente mas nunca explica como. Ele é o Messias. Parece ser o Messias da desgraça e do terror, há quem o chame de genocida e eu não consigo contra argumentar contra este último adjectivo.
Uma explicação à parte para explicar a expressão grillinho.
Em Itália, Bepe Grillo criou um blogue há uns anos atrás.
De acordo com Giuliano Da Empoli no seu livro Os Engenheiros do Caos, o que fazem os grillinhos:
A partir do final de 2013, o blog introduz uma secção dedicada ao “jornalista do dia”: geralmente, um repórter que criticou o movimento. A vítima é apresentada às massas de grillinhos como um exemplo de má-fé e da corrupção das mídias italianas e se torna pontualmente objeto de injúrias e ameaças nas telas das redes.
É isso que é feito com a Globo e com William Bonner por exemplo mas há outros que são referidos pelo Presidente. Alguns não são jornalistas. O juiz Alexandre de Moraes, por exemplo, que decidiu o que decidiu foi vítima, uns dias depois, de ameaças na porta da sua casa. "Está com medo do Ramagem..." era a letra da música que cantavam entre outras asneiradas. Não me venham dizer que aquilo era uma manifestação. Não era manifestação nenhuma, era intimidação patrocinada pelos grillinhos.
O Airton Guedes sempre desvalorizou a covid-19. Desde o início, e não mudou a sua posição. Um Rafael Augusto Alves da Costa Ferraz que não sabe fazer uma conferência de imprensa depois da demissão do seu Ministro da Justiça com uma linha de pensamento e uma mensagem que faça um pouco de sentido. Aquecedor do Palácio do Planalto? Para quem é que ele está a falar? Eu não preciso de viver no Brasil para ter acesso tudo o que o mito faz e diz. Ouço sempre os dois lados não por prazer mas porque gosto de por à prova as minhas próprias convicções. Não, eu não vou achar normal a frase "sempre houve tortura" nem que seja dito por uma actriz que sempre considerei como uma das grandes da sua área. Chega de passar o pano e mandar as migalhas para debaixo do tapete. Esse tapete já está tão inchado que nem dá para andar em cima dele. #forabolsonaro #calaabocabolsonaro

quarta-feira, maio 13, 2020

DR. JOÃO ABEL DE FREITAS

BUSTO DR. JOÃO ABEL DE FREITAS - FUNCHAL

(Lisboa) A escultura de João Abel de Freitas data de 1954 e o seu autor é o escultor Leopoldo de Almeida. Foi um conhecido médico. O busto em bronze fica situado na Avenida Arriaga, no centro da cidade do Funchal, num jardim exterior das traseira do Palácio de São Lourenço. No Funchal, para além desta homenagem, João Abel de Freitas dá nome a uma estrada, a uma travessa e a um túnel, estas três vias mais ou menos na mesma zona da cidade. O nome de João Abel de Freitas pode ser encontrado em outras vias um pouco por toda a ilha.

Referências:
(1) - https://pt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_obras_de_arte_p%C3%BAblica_da_Madeira
(2) - http://www.concelhodecamaradelobos.com/dicionario/freitas_dr_joao_abel.html

segunda-feira, maio 11, 2020

A319 VENEZIA

EASYJET - VENEZIA - OE-LKF - LPPT

(Lisboa) A fotografia é do ano passado, 2019, do dia 29 de março para ser mais preciso. Sabendo que o A319 da easyJet está na pista 03 do Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, e pela posição do sol, dá para perceber que é ao final da tarde, foi às 19h20m desse dia, para ser mais exacto. As companhias aéreas para além das suas cores de marca costumam apresentar alguns aviões com desenhos diferentes para assinalar eventos, acontecimentos, cidades, clubes ou qualquer outra coisa que queiram destacar. Pagos ou não esses desenhos podem ser mais ou menos temporários. Na verdade tudo o que existe é temporário, não existe nada de permanente no universo, é tudo uma questão de escala de tempo. O A319 de matrícula OE-LKF tem o nome de Venezia e é também pintado para celebrar no ar e em terra essa cidade italiana.

quinta-feira, maio 07, 2020

BRASIL - COVID-19


BRASIL - COVID-19
(Lisboa) Na mesma altura em que Portugal registou o primeiro caso ou quase na mesma altura, o Brasil também começou a registar casos de covid-19. Tenho acompanhado a sua evolução diária. No site do Ministério da Saúde do Brasil (1) retiro, todos os dias, o número de casos total e o número de óbitos total. O registo diário permite ver as variações de dia para dia do número de casos novos. Permite também ver a variação diária de óbitos. Os casos recuperados, os internamentos e os casos em unidades de cuidados intensivos não aparecem nessa página tal como são divulgados em conjunto pelas autoridades portuguesas, nos relatórios da Direcção Geral de Saúde (DGS), para a realidade de Portugal. Tenho ignorado essa informação em relação ao Brasil embora em relação aos casos recuperados possa ser consultada no worldometers (2), não com muita qualidade pois os recuperados aparecem de rajada dando a impressão que o Brasil já teve vários picos. Provavelmente não teve nenhum pico ainda. Portugal também não. O pico que estou a falar é o pico de casos activos, o número máximo de pessoas com a doença. O número de pessoas com a doença neste momento é dado pelo número total de casos reportados subtraindo os óbitos e os recuperados. Não tenho esse valor para o Brasil, o número de casos activos. Podem ver no (2).

O que se pode ver na linha azul é que o número de novas ocorrências diárias está em crescente. É a primeira derivada da curva de casos reportados, é uma taxa de crescimento da infecção. Os valores de novos infectados crescem quase todos os dias nestes últimos dias, nestas últimas semanas com algumas exceções. Os óbitos têm seguido a mesma tendência mas parecem crescer por patamares. As duas curvas parecem estar emparelhadas mas é somente uma ilusão causada pelo facto de querer apresentar ambas no mesmo gráfico, têm escalas diferentes. A escala da curva de novos casos está à esquerda e a curva dos óbitos tem a sua escala à direita. Os óbitos registados hoje foram infecções há alguns dias atrás por isso mesmo que estabilizássemos hoje o número de novos casos ou mesmo diminuíssemos esses números é provável que as mortes continuem a aumentar nos próximos dias, infelizmente. Estes são os números puros e duros de acordo com o Ministério da Saúde do Brasil.

Referências:
(1) - https://covid.saude.gov.br/ 
(2) - https://www.worldometers.info/coronavirus/country/brazil/