quarta-feira, outubro 11, 2017

ONDE FOI PINTADO ESTE QUADRO?

QUADRO DE AUTOR DESCONHECIDO

(Lisboa) Este quadro de autor desconhecido foi pintado ou copiado de um lugar que desconheço. Conseguem-se distinguir a Sé Catedral e o Forte do e Nossa Senhora da Conceição na paisagem funchalense mas não é claro a presença do Ilhéu de São José. Também se vê o molhe do porto parecendo ter já as dimensões atuais. Sendo assim a pintura teria sido feita já depois de dos anos sessenta do século XX. Resta saber se o miradouro onde está esta árvore existe ou teria existido.

Referências:
(1) - http://www.apram.pt/site/index.php/pt/portos/historia

terça-feira, outubro 10, 2017

DÁ ME UM COCHE

COCHE DE FELIPE II

(Lisboa) Um coche pode ser entendido como um bocado de qualquer coisa mas é também uma palavra que designa uma carruagem antiga e luxuosa. Nesta fotografia tirada no Museu dos Coches, em Lisboa, está o elemento mais antigo da coleção, identificado pelo museu como o Coche de Felipe II. A aplicação móvel de suporte aos visitantes não funcionou no meu aparelho mas como já escrevi no último artigo não me tirou o foco. O coche que mais queria ver tinha ido passar uma temporada a Vila Viçosa, trata-se do que transportou o Rei D. Carlos, o chamado Landau do Regicídio, na sua última viagem, a 1 de fevereiro de 2008. Os carros dos Presidentes  da República estão no Porto, não estão aqui como também erradamente pensei. Acho bem, nem tudo tem de estar na capital, corremos é o risco de tudo o que não está na capital estar no Porto.
Os reis e nobres que se serviam destes coches para grandes viagens tinham muito conforto mas um conforto inferior ao que hoje está acessível numa tarifa económica de uma qualquer companhia aérea mesmo de baixo custo para uma viagem de distância semelhante.

Referências:
(1) - www.priberam.pt

segunda-feira, outubro 09, 2017

POR ONDE ANDAM

_sultanbeyli_TC-JVA_THY_TURKISH_AIRLINES LPPT

(Lisboa) Não é fácil lidar com o desconhecido, com o incerto, e o hábito de ter respostas imediatas, quase instantâneas torna ainda mais difícil essa relação. É importante saber lidar com todos os instrumentos que possam estar ao nosso dispor para simplificar a nossa vida mas é preciso saber viver sem o stress que a ausência dessas ferramentas pode provocar. No mundo onde tanta gente tem medo de usar tecnologias porque alguém pode estar a seguir as suas vidas mas não se importam de levar o telemóvel para todo o lado, é também um mundo onde Osama Bin Laden demorou mais de dez anos para ser encontrado e neutralizado e é o mesmo mundo onde é possível desaparecer um Boeing 777, sem ninguém saber, nem mais ou menos, onde foi o seu triste fim. A tecnologia deve apenas servir para nos ajudar, não nos deve ser motivo de stress e ansiedade nem vai, ao contrário do que se anda a propagandear por aí, mudar as nossas vidas. Continuaremos por aqui, com ou sem internet, a tentar ser feliz, pelo menos a maior parte do tempo.

_sultanbeyli_TC-JVA_THY_TURKISH_AIRLINES LPPT

Mais sobre as fotografias, este é um Boeing 737 da companhia Turkish Airlines, um dos, com a matrícula TC-JVA.

Referências:
(1) - http://www.airfleets.net

quinta-feira, outubro 05, 2017

RUA 5 DE OUTUBRO

RUA 5 DE OUTUBRO - FUNCHAL

(Lisboa) Uma imagem da Rua 5 de Outubro, no Funchal, neste dia em que comemoramos mais um aniversário da Proclamação da República. Nesta parte, a rua encontra-se com a Rua do Padre Gonçalves da Câmara.

Referências:
(1) - http://ruasdofunchal.blogspot.pt/2012/01/rua-5-de-outubro.html

terça-feira, outubro 03, 2017

ALL NIPPON AIRWAYS


(Lisboa) Tinha na minha agenda, há algum tempo, a chegada do voo da All Nippon Airways a Lisboa. O voo direto de Tóquio, de Narita, demorou treze horas e dezassete minutos. O Boeing 777 de matrícula JA783A foi entregue dia 2 de agosto de 2008.

Referências:
(1) - http://www.airfleets.net

sexta-feira, setembro 29, 2017

quinta-feira, setembro 28, 2017

OS TURISTAS

LISBOA - TERREIRO DO PAÇO

(Lisboa) Fotografia tirada no Terreiro do Paço. Turista, segundo o dicionário da Priberam, é uma pessoa que viaja por diversão ou recreio dentro ou fora do país. Acho que eramos todos turistas ali.

sexta-feira, setembro 22, 2017

EQUINÓCIO DO OUTONO

VARIAÇÃO DAS HORAS DE SOL AO LONGO DO ANO

(Lisboa) A imagem que hoje vos trago, a primeira, não foi tirada com nenhuma câmera. Ela apresenta, para várias cidades um tempo, uma quantidade de horas. Essas horas são medidas entre o instante em que o Sol nasce e o instante em que ele se põe. Seria uma medida da duração do dia ou da duração da claridade do Sol. A escala horizontal representa os trezentos e sessenta e cinco dias do ano de 2017. As cidades escolhidas são algumas daquelas por onde já passei e que achei interessante compilar a informação já que apresentam variações de latitude que depois se refletem nas diferenças apresentadas pela representação das linhas sinusoidais. Podemos ver a duração do dia em Oulu, na Finlândia, a cidade de maior latitude que já visitei e a sua compatriota e capital, Helsínquia. A diferença em graus de latitude entre essas duas cidades finlandesas é mais ou menos a diferença de latitudes entre as duas cidades portuguesas, Lisboa e Funchal e no entanto as diferenças de horas nos dias maiores e menores é mais acentuada nas duas cidades do norte da Europa comparativamente às duas cidades lusas. Ao observar este gráfico, a conclusão que se tira é que à medida que se caminha para maiores latitudes os dias e as noites têm uma distorção temporal maior entre inverno e verão. São Paulo também aqui aparece por ser uma cidade do hemisfério sul e também por ser uma cidade de mais baixa latitude encontrando-se na fronteira entre a Zona Temperada e a Zona Tórrida.
Vamos começar a nossa viagem no primeiro dia do ano. Nesse período, os dias das cidades do Hemisfério Norte aumentam. Os dias não começaram a aumentar no primeiro dia do ano, começaram a aumentar no solstício de inverno que ocorre mais ou menos a 21 de dezembro, uns dias antes do arranque do ano novo. Daí as palavras populares de janeiro fora aumenta uma hora. O ritmo de aumento ou de diminuição não é constante mas durante alguns meses do ano pode-se considerar constante. No dia do solstício de inverno o número de horas de sol no Funchal é cerca de dez e em Lisboa de nove ponto quarenta e cinco. É cerca de meia hora a mais que a cidade da Madeira tem de sol no dia mais curto do ano, diferença igual no solstício de verão, mais ou menos a 21 de junho mas desta vez a capital portuguesa consegue o dia maior pois tem maior latitude. À medida que avançamos no calendário no mês frio de janeiro os dias começam a aumentar ainda a um ritmo não máximo por semana. Nas primeiras semanas do ano os dias aumentam cerca de 5 minutos, no Funchal, em cada sete dias, mas o ritmo vai aumentar para o triplo em março e abril. Em Oulu, cidade nórdica, o aumento é de quase cinquenta minutos em cada semana. É exactamente nessa medida que os dias estão a decrescer neste momento. No Funchal, cada semana que passa perde quinze minutos de sol e em Lisboa um pouco mais, cerca de dezoito. É isso que mostra o segundo gráfico. As variações apresentadas no gráfico de baixo, com picos para cima ou para baixo têm que ver com o facto de o astronomy lab 2, programa de computador para sistema Windows feito em 1996, só me dar horas de nascimento e ocasos do sol com precisão até ao minuto. As diferenças são para sete dias.
Publico esta mensagem mais ou menos à hora do equinócio do outono. Hoje o dia e a noite são iguais em toda a terra. Em todas as latitudes o dia e a noite terão mais ou menos doze horas. O dia e noite só voltarão a ser iguais novamente em março do próximo ano por altura do equinócio de primavera. Até lá os dias serão menores que as noites neste hemisfério em que vos escrevo. Se vive no Brasil ou em Angola o efeito é o inverso mas creio que para quem vive em latitudes baixas, como a diferença não é grande entre dia e noite ao longo do ano, pode não dar muita importância a este facto.
O que fiz de seguida surpreendeu-me. Somei todas as horas de sol de todas estas cidades e reparei que em todas o valor era mais ou menos igual e a que leva mais horas de exposição solar é mesmo a nórdica Oulu, com quatro mil quinhentas e oitenta e seis. O Funchal tem quatro mil quatrocentas e quarenta e quatro horas. Entre Funchal e Oulu a diferença é de cento e quarenta e uma horas, 3% a mais para a cidade da Finlândia. É isso que está representado no terceiro gráfico e ficam a saber que lisboa tem mais 0.18% de horas de sol em relação ao Funchal.

ALTERAÇÃO DOS RITMOS DE VARIAÇÃO DOS DIAS E DAS NOITES


HORAS DE SOL POR CIDADE - SÃO PAULO - FUNCHAL - LISBOA - HELSÍNQUIA - OULU - 2017


Referências:
(1) - https://funchal.blogspot.pt/2010/12/solsticio-de-inverno.html

terça-feira, setembro 19, 2017

ARCO DA RUA AUGUSTA

ARCO DA RUA AUGUSTA - LISBOA

(Lisboa) O sol não tem andado muito forte. Estamos, dizem os especialistas do IPMA sobre influência de ares polares mas mesmo assim a sombra de D. José I, no Terreiro do Paço ou Praça do Comércio, pareceu-me apetecível para um pequeno descanso e com o Arco da Rua Augusta bem à minha frente. Sentei-me nos degraus do monumento de O Reformador, à sua sombra real, e fui cercado por um grupo de espanhóis guiados por uma guia de seu nome Elena, nome que no país vizinho e pelos vistos, não leva agá. Li no cartão que ela levava a peito. Peito que não tinha e confesso que só descobri o seu género depois de ler o nome no crachá. O próprio agá não leva agá no seu nome o que para mim também é curioso. Ela, a guia, a Elena, explicou um pouco da história daquele espaço muito rapidamente e muito claramente e relacionou a influência da maçonaria na construção daquela praça e os seus símbolos que também teria trazido para este importante ponto lisboeta. Em poucos minutos fiquei outra vez sozinho pois os espanhóis foram todos atrás da guia.

São personagens deste arco Viriato apresentado de seguida.

VIRIATO

Vasco da Gama à direita de Viriato mas no grupo da esquerda do Arco.

VASCO DA GAMA

Do lado direito do Arco o Marquês de Pombal.

MARQUÊS DE POMBAL

E a finalizar por hoje Nuno Álvares Pereira.



Referências:
(1) - https://pt.wikipedia.org/wiki/Arco_da_Rua_Augusta
(2) - https://pt.wikipedia.org/wiki/Viriato
(3) - https://pt.wikipedia.org/wiki/Vasco_da_Gama
(4) - https://pt.wikipedia.org/wiki/Sebasti%C3%A3o_Jos%C3%A9_de_Carvalho_e_Melo
(5) - https://pt.wikipedia.org/wiki/Nuno_%C3%81lvares_Pereira

segunda-feira, setembro 18, 2017

ESTRADA DA EIRA DO SERRADO

ESTRADA DA EIRA DO SERRADO - ILHA DA MADEIRA

(Lisboa) Paisagem habitual na Madeira são estas construções em declive acentuado não só em paisagem rural mas também na urbe. O aproveitamento do espaço é muito importante quando ele não é muito e quando, também, não é de construção fácil.