quarta-feira, maio 12, 2021

30 ANOS DEPOIS

VISITA DO PAPA À MADEIRA - 1991

(Lisboa) Foi num sábado ou num domingo? Não tinha a certeza quando comecei a escrever estas linhas. 12 de maio de 1990 foi num domingo, tirei a dúvida agora mesmo, num calendário. Saímos de casa eu, o meu pai, a minha mãe e a minha irmã. Fomos ver o cortejo papal na esquina entre a Rua do Bom Jesus e a Rua 31 de Janeiro. Era da parte da manhã. É a única fotografia que tenho da visita do Papa à Madeira, e acho que foi também a única que tirei. Foi o melhor que consegui numa máquina que era muito simples, para tirar fotos: era só carregar no botão, não havia nenhum ajuste possível em termos de abertura ou velocidade de captura. A única coisa mais complexa era mesmo olhar pela ocular e tentar apanhar o alvo. Estou a falar de uma máquina que tinha um formato rectangular, deveria ter mais ou menos o volume de três caixas de fósforos alinhadas. Depois de tirar as fotos tínhamos de esperar o rolo acabar para então revelar as doze ou vinte e quatro que nunca eram doze ou vinte e quatro porque algumas não eram reveladas por vontade própria das pessoas que o faziam, na loja de fotografia. Mais um tipo de serviço que hoje praticamente já não existe. Foi a primeira vez que tirei a fotografia ao papamóvel, na altura desconhecia o seu destino e já agora, o meu também. Voltei a fotografá-lo uns anos mais tarde, por acaso (2) e anos depois em frente à Sé (1). O Diário de Notícias da Madeira, de vez em quando, nos presenteia com edições antigas completas em PDF e também recentemente disponibilizou a edição de 4 de maio de 1991, uns dias antes da visita de João Paulo II, com boatos da capital estampados na capa (3). Nesse dia 4 de maio se forem ver em (3) a programação da RTP-Madeira, passou o McGuiver, o Rotações e o Caminho das Estrelas também, tudo mais ou menos à hora de almoço que é o tempo que se convencionu chamar ao intervalo entre as doze e as catorze horas. No sábado seguinte, véspera da visita do Papa, também deve ter sido esse o alinhamento. À tarde fui para a catequese, mas disso já falei aqui há uns dias atrás. 

Referências:

domingo, maio 09, 2021

BAIXIO

BAIXIO - IMO 801056 - FUNCHAL

(Lisboa) Um baixio é uma parte do mar afastado da costa onde este é menos profundo. É o nome também deste navio, fotografado no penúltimo dia de 2020 ao largo do Funchal. Um dia de vento que produziu alguma ondulação, as chamadas ovelhinhas, no mar.

terça-feira, maio 04, 2021

IGREJA DE SANTA LUZIA

IGREJA DE SANTA LUZIA

(Lisboa) Não sei se foi aqui que fui batizado mas foi aqui que recebi a primeira comunhão e foi aqui também que tive todos os meus anos de catequese. Não cheguei a me crismar, deixei a catequese no último ano, quando por questões de idade ou burocráticas inventaram mais um (ano) para eu fazer. Desmotivei e não completei a minha formação católica. Tinha catequese aos sábados e não éramos muitos, chegámos a ser dois ou três na mesma turma, o máximo. O sábado à tarde era já uma extensão do domingo. No sábado de manhã há muita coisa aberta e é bom andar pela cidade quando ela funciona normalmente. O meu pai levava-me aos sábados de manhã pelas ruas do centro para o passeio matinal. À tarde eu vinha aqui para uma hora de formação religiosa. A miúda do basquetebol também, de vez em quando. Numa missa, num domingo de manhã, sentei-me ao lado dela na fila da frente. Não foi bem ao lado dela, estávamos nos extremos do banco e entre ela e eu ainda se poderiam contar: a prima dela, uma amiga e mais um ou dois sem rosto e sem nome. Há uma tendência para quando nos distraímos tomarmos a opção errada e eu para ir para o meu lugar, voltando da comunhão, poderia muito bem ter ido pela frente do genuflexório que na primeira fila não se encontra pegado com o banco da frente porque ele não existe. Em vez disso decidi ir pelo outro lado, talvez atraído pela força da gravidade da rapariga do basquetebol. Foi um festival de pisar pés. Com o meu calcanhar activei o ui na boca dela e um ai na prima e nas amigas. Poderia ter circulado pela tábua onde se encostam os joelhos mas sabem que nestas alturas a lógica perde todo o sentido. Até cheguei a jogar razoavelmente o jogo que ela treinava mas naquele dia a minha proximidade excessiva jogou-me definitivamente para longe da órbita daquele ser que dominava a minha atenção como um cometa que passa tão perto do Sol mas é jogado para sempre para as trevas do sistema solar.

quarta-feira, abril 21, 2021

EUGÉNIO DE ANDRADE

CS-TJK - A321 - TAP - EUGÉNIO DE ANDRADE

(Lisboa) Este não é um repetente por aqui, o CS-TJK é um Airbus A321 neo que a TAP escolheu dar o nome de Eugénio de Andrade. Já o tenho há algum tempo nos arquivos mas o avião é novo, foi entregue em novembro de 2018 à companhia portuguesa. Devido à pandemia de covid-19 é um dos que foi escolhido para ficar em terra, desde março do ano passado.

Referências:

(1) - https://arquivos.rtp.pt/conteudos/morreu-eugenio-de-andrade/

(2) - https://pt.wikipedia.org/wiki/Eug%C3%A9nio_de_Andrade 

(3) - https://www.airfleets.net/ficheapp/plane-a321-8553.htm

domingo, março 28, 2021

A PÁSCOA

LUA CHEIA

 (Lisboa) Quando andava na escola o primeiro período tinha mais ou menos o mesmo número de dias, semanas. Começava a 1 de outubro (na Madeira o primeiro dia de aulas do novo ano letivo era sempre depois de 30 de setembro). Depois do Natal e das festas de fim de ano ou vinha um segundo período grande e um terceiro pequenino ou eram mais ou menos equilibrados. O que determinava o fim do segundo período era a Páscoa e a Páscoa parecia que tinha bicho de pêssego, nunca se poderia contar com ela. De ano para ano mudava de dia. Toda a gente perguntava, mas quando calha a Páscoa este ano? E iam ver nos calendários. A Páscoa é o primeiro domingo depois da primeira lua cheia após o equinócio eclesiástico (equinócio eclesiástico é sempre a 21 de março). Como hoje é a primeira lua cheia depois do equinócio eclesiástico, a Páscoa é no próximo domingo, dia 4 de abril. E sabendo esta data outros dias importantes aparecem. Já gora, o dedo na fotografia é meu. Acho que é a primeira vez que apareço no meu blogue e logo a mostrar o dedo indicador da mão direita.

  • Domingo de ramos (hoje, o domingo antes do dia da ressurreição).
  • Sexta-feira Santa, a sexta-feira anterior à Páscoa.
  • Entrudo (40 dias antes do domingo de ramos).
  • Corpo de Deus (60 dias depois da Páscoa).

Referências:

(1) - https://en.wikipedia.org/wiki/Computus

domingo, março 14, 2021

DRENAR OS OCEANOS

(Lisboa) O National Geographic tem um documentário muito interessante. Na verdade tem vários mas um particularmente me fascina, nos últimos tempos. Chama-se Drenar os Oceanos, na sua versão em português. O que fazem é graficamente mostrar como seria se a água do mar desaparecesse toda nessa zona do globo, pondo a nu o que está no fundo do mar. Imaginem o que seria se fizessem isso na zona da Madeira. Não há nenhum episódio da série dedicado à Região que eu saiba mas quem sabe não se lembram de o fazer um dia. Talvez fosse possível descobrir o CS-THB, desaparecido a 9 de novembro de 1958. Lembro-me de ler um texto no site Aprender Madeira que me fascinou. O título do texto é topografia marinha, está cá em baixo nos links referência, como (2). O texto fala das ilhas como um ciclo: nascem, crescem e depois começam a se desmantelar e acabam por desaparecer nos oceanos, por erosão. A escala de tempo deste fenómeno ultrapassa em muito a nossa existência mas é certo que um dia a Madeira deixará de existir. Aliás é tudo uma questão de escala de tempo, porque também um dia este planeta deixará de existir se num futuro muito longínquo for engolido pelo Sol, em final de vida. O que me apercebi lendo os textos sobre o assunto é que vivi muitos anos no topo de uma grande montanha marítima.

PORTO Do FUNCHAL

Referências:

(1) - https://en.wikipedia.org/wiki/Amp%C3%A8re_Seamount

(2) - http://aprenderamadeira.net/article/topografia-marinha

(3) - https://second.wiki/wiki/artop-flug_531 

sábado, março 06, 2021

MARTE

(Lisboa) Fiquei surpreendido pelo número de missões e equipamentos actualmente activos no planeta Marte. Para além das três missões que chegaram ao planeta vermelho nos últimos dias (Hope, Tianwen-1 e Perseverance), já se encontravam por lá a Mars Odissey, a Mars Reconnaissance Orbiter, Mars Maven, a Mars Express, Exomars Trace Gas Orbiter, a Insight, a Mars Orbiter Mission e Mars Curiosity Rover. As temperaturas também elas surpreendem porque o planeta tem aquela cor quente é conhecido também por uma cor quente mas as temperaturas onde a Perseverance está variam entre -74ºC e -8ºC. É frio, muito frio. Estava à procura de uma imagem de Marte tirada por mim para juntar a este texto mas não encontrei a fotografia que pretendia. Era uma fotografia em que Marte aparecia como um ponto no céu numa das suas últimas oposições, um acontecimento que favorece a sua observação a partir da terra. Imagem incomparável às divulgadas pela NASA nos últimos dias mas é das melhores que posso conseguir a esta distância. Marte faz muitas capas de jornais, revistas e páginas iniciais de muitos sites por estes dias. Vou continuar a viajar até Marte, pelas imagens, pelas notícias, enquanto não posso andar por aí livremente.

Referências:
(1) - https://www.emiratesmarsmission.ae/
(2) - http://www.cnsa.gov.cn/english/index.html
(3) - https://mars.nasa.gov/mars2020/
(4) - https://mars.nasa.gov/odyssey/
(5) - https://mars.nasa.gov/mro/
(6) - https://mars.nasa.gov/maven/
(7) - https://exploration.esa.int/web/mars/
(8) - https://exploration.esa.int/web/mars/-/46475-trace-gas-orbiter
(9) - https://mars.nasa.gov/insight/
(10) - https://www.isro.gov.in/pslv-c25-mars-orbiter-mission
(11) - https://mars.nasa.gov/msl/home/
(12) - https://en.wikipedia.org/wiki/Mars_Express

quinta-feira, fevereiro 11, 2021

DE VOLTA A MACAU

(Lisboa) De volta a Macau, em pensamento apenas, relembrando as palavras do Professor Brás, lá na antiga Escola da Carreira, no Funchal. Ele dizia que só há uma coisa mais rápida que a velocidade da luz, é o pensamento. Pensamos e estamos na Lua, exemplo que dava aos seus alunos. Coisas que me ficaram na cabeça dessa altura. Aqui na imagem, um cartaz num local sujo pelas obras, na Taipa em Macau, a comemorar os 70 anos da República Popular da China. A China em números impressiona, é um país 140 vezes maior que Portugal em população, em área 104 vezes maior. Ontem tornou-se o sexto país a atingir Marte com uma missão espacial (Tianwen-1). A China amanhã começa um novo ano, o ano do boi. Bom ano.

terça-feira, fevereiro 09, 2021

#ARABSTOMARS

DUBAI ONE - MARS HOPE MISSION

(Lisboa) Uma fotografia da emissão de hoje da Dubai One, a cobrir a primeira missão árabe a Marte. Uma missão que consiste em colocar uma estação meteorológica em órbita do planeta vermelho. O satélite artificial chama-se Hope. Não há imagens ao vivo. Os tempos de comunicação com Marte não são muito rápidos, demora uns minutos até se conseguir comunicar com qualquer sonda a esta distância. As velocidades de transferência de dados também não permitem vídeos em tempo real, há outras prioridades em termos de dados a fazer chegar. Quando terminou a emissão especial começou a novela da TV Globo Orgulho e Paixão, de 2018. Traduzido para inglês como Pride and Passion, com som original em português e legendas em inglês e árabe.

#ArabsToMars

Referências:

sábado, fevereiro 06, 2021

A FILOMENA

(Lisboa) O voo 1687 vinha de Lisboa e o avião desse voo ia ser utilizado para me levar de novo para a capital. Era o pico da Filomena e lá fora, para além da barreira de vidros do Aeroporto só se viam os postes de luz a abanar com vento com chuva. O voo saiu de Lisboa pela pista 03, era o CS-TVE da TAP. Saiu para norte, deu a volta pela ponte Vasco da Gama e rumou a sudoeste a 39 mil pés. Quando passou pelo Porto Santo já vinha a pouco mais de 13 mil pés de altitude. Estava a descer para o Funchal, ou melhor para o Aeroporto da Madeira que fica fora do Funchal mas esse é o nome que aparece nos ecrãs. Parecia tudo bem, tudo bem encaminhado para que o meu plano fosse em frente. Quando chegou perto da costa nordeste deu uma volta a 12 mil pés, uma segunda volta mais pequena onde desceu até aos 7 mil pés e uma terceira onde chegou aos 3 mil e saiu em direcção à Ponta de São Lourenço. Como é que sei estes detalhes todos? Existem aplicações para telemóveis que nos dão estas informações quase em directo. Fez-se à pista 05 mas abortou a aproximação. Regressou à altitude de 3 mil pés e no mesmo sítio onde anteriormente tinha estado às voltas. Deu mais 3 (voltas) e uma 4ª, mais pequena, e apontou para a Ponta de São Lourenço. Desta vez não se chegou a fazer à pista passando por Gaula, fez o desvio para sudeste e seguiu para Lisboa. Fiquei mais um pouco a observá-lo para ver se voltava mas a altitude só aumentava e a direcção não mudava para sul. Fiquei a pensar que passaria mais uma noite no calor do Funchal e teria uma noite a menos no frio inverno da cidade das sete colinas. Estava contente mas não tinha realmente razões para isso. Ficar sem um voo significa a incerteza de quando voltar, significa toda uma logística familiar que precisa de ser pensada, enfim, pensei mas não senti. Achava que devia me sentir chateado e raivoso mas não estava. Ainda liguei uma última vez para aplicação e vi que o avião da TAP que me iria levar só se afastava. Fui à porta pedir informações e à espera de ver confirmada a minha intenção de voltar ao Funchal. A senhora disse-me que não me preocupasse que o voo ainda iria sair hoje. Nesta altura deveriam ser umas 20h. Voltei com um sorriso arrogante pensando que sabia mais do que a informação que me tinha sido dada. Descobri no caminho (alguém nos disse, em modo segredo) que havia um avião estacionado que estaria a ser preparado para nos levar. E assim fomos todos, depois de uma descolagem mais agressiva, para as baixas temperaturas do continente europeu.